• Marcelo Dieguez

Ou mete a mão na massa ou vai viver só olhando!


As pessoas sempre debocham de quem responde "Fazendo" quando alguém pergunta a melhor maneira de se fazer algo. A resposta está corretíssima, mas eu colocaria um complemento para não ficar tão vazia assim. Eu responderia "Fazendo como você sabe."


Infelizmente isso não é levado a sério por ninguém, porque as pessoas tem medo de fazer e errar. Errar ainda é algo inadmissível e traz vergonha e constrangimento para quem errou. Por isso, quando escutam a resposta "Fazendo", ficam frustradas. Porque o que elas realmente esperavam era um manual para executar aquilo com perfeição ou um canal no YouTube mostrando, na prática, como realizar a tarefa sem enfrentar nenhum problema e cometer nenhum erro.


Mas isso não existe e nunca irá existir. Mesmo se você tiver manual, vídeos, passo a passo, sentar do lado de alguém, você vai errar e cometer falhas! E eu resolvi falar sobre esse assunto porque isso tem me acompanhado desde o começo deste projeto. Eu deixava de escrever porque nunca estava perfeito! Não colocava no ar um podcast porque sempre achava um probleminha.

Porém, a verdade é que quanto mais cedo aceitamos e entendemos que o processo de errar é normal, melhor e mais rápido teremos o resultado que gostaríamos: uma entrega excepcional.


Para me ajudar a explicar esta jornada, eu gostaria de apresentar um gráfico.


Os 4 Estágios da Competência


Para ajudar na compreensão de cada nível, vou usar como exemplo, Michel, um jovem de 23 anos que quer aprender a fazer maquiagem profissional. Então durante a evolução do assunto, mantenha este exemplo na cabeça.


Nível 1 - Incompetência Inconsciente

O primeiro nível é a Incompetência Inconsciente. Neste nível, você pegou o bonde andando. Não faz ideia pra onde está indo, não sabe onde sentar, não sabe nada.

Ele é caracterizado por não saber o que é necessário para fazer alguma coisa e também não tem habilidade para realizar a tarefa.


Ex.: Michel comprou o estojo de maquiagem e os produtos e, ao abrir, não sabia o que cada coisa fazia. Então ele pegou um pincel para testar e quando foi passar em um produto, derrubou o produto todo no chão.

Michel não sabe o que está fazendo e não tem habilidade nem pra segurar o pincel.


Nível 2 - Incompetência Consciente

A Incompetência Consciente, o segundo nível, difere do primeiro porque aqui a pessoa já buscou alguma informação e sabe o que precisa aprender para realizar a tarefa. Ela adquiriu um pouco de compreensão. É quando a pessoa, por meio de pesquisas ou aprendendo com alguém, começa a entender o que as coisas significam, pra que servem, mas ainda não tem habilidade para executar bem aquela tarefa.


Ex.: Michel abriu o YouTube e começou a ver vídeos de maquiagem. Durante os vídeos, ele foi aprendendo para que servia cada pincel, como manusear os produtos e também pegou algumas dicas para se lembrar dos itens que eram mais utilizados. ( pouca compreensão)

Então, Michel conseguiu fazer sua primeira maquiagem. Mas ele demorou 1 hora para fazer o que um maquiador profissional faz em 10 minutos e gastou o dobro de produto. (falta muita habilidade)


Nível 3 - Competência Consciente

No terceiro nível, Competência Consciente, já existe uma compreensão muito maior, você já aprendeu bastante e praticou algumas vezes. A característica principal deste nível é grande compreensão, porém ainda necessita atenção para realizar a tarefa.


Ex.: Michel já não precisa abrir mais o YouTube e nem consultar anotações para saber qual objeto que irá usar e também o tipo de produto (muita compreensão). Mas ainda é necessário colocar atenção na hora de realizar a maquiagem nas pessoas. (falta habilidade)


Nível 4 - Competência Inconsciente

A Competência Inconsciente é marcada pela grande compreensão do que é necessário para executar a tarefa e também muita habilidade para realizá-la. Quando uma pessoa faz, no que dizem, "Piloto Automático". Ela tem destreza e habilidade, e parece que ela sempre soube como fazer aquilo.


Ex.: Michel já sabe o nome de todos os pincéis e outros objetos. Sabe também qual marca é boa e qual é ruim e muitas outras coisas do ramo (muito conhecimento). Além de todo este conhecimento, Michel, que antes tinha que se manter concentrado para realizar a maquiagem, hoje faz a maquiagem conversando com a cliente e outras pessoas presentes. Ele nem está mais consciente do que está fazendo de tanta habilidade que adquiriu neste processo. Ele conversa e as mãos atuam no "Piloto automático". (muita habilidade)



É por causa disso que nós não temos que ter medo de tentar e fazer. Este é um processo pelo qual todas as pessoas passam. Você precisa de conhecimento e prática para evoluir e melhorar tanto seu conhecimento como sua habilidade. E pra isso, só tem um jeito. Fazer.


Quanto mais nós fazemos, mais nós ganhamos conhecimento e habilidade de execução.

O insight para este post veio exatamente disso. Eu estava montando o esqueleto de um novo Ebook que irei escrever, e muito do que eu fiz agora foi de aprendizados do Ebook sobre Otimismo que escrevi primeiro.


Não tem como fugir, pessoal. Devemos entender que este é um processo natural de aprendizagem. Se você quer começar um projeto, mudar de área, ou fazer qualquer outra coisa, tenha em mente que este será o processo de aprendizado e se antecipe! Aprenda antes, faça antes.. Afinal, é "Fazendo de qualquer jeito" que você vai começar a descobrir o que precisa para desenvolver esta nova competência.

0 visualização
Assine nossa newsletter para receber nossos conteúdos em primeira mão!

© 2020 by @marcelodieguez.