• Marcelo Dieguez

Por que estamos lembrando cada vez menos das coisas?



Do ano passado pra cá eu tenho percebido que eu tenho retido menos informação, recordado menos de alguns momentos e até mesmo esquecendo coisas de 1 semana atrás. E nesses dias eu comecei a refletir e me perguntar o por que disso. Então eu cheguei a uma conclusão fundamentada por alguns artigos e gostaria de compartilhar com vocês.


Eu tenho me lembrado menos das coisas e acredito que isso pode estar acontecendo com vocês. Não, não é Alzheimer. O maior vilão da nossa memória é, atualmente, o nosso melhor amigo: o nosso celular.


E eu não vou trazer aqui questões ultrassônicas que emitem um raio beta, alfa e gama e passa do celular pro nosso cérebro e ferra tudo.. não, não é este tipo de explicação que eu vou dar.


Antes de trazer os fatos comprovados, eu gostaria primeiro de citar um exemplo, porque acho que os exemplos são perfeitos para explicar qualquer situação.


Todos que estão lendo conhecem um objeto chamado HD Externo. E pra que usamos o HD Externo? Pra guardar todas as informações de uma fonte, no caso o computador, e liberarmos mais memória.


Já sacou onde quero chegar, né?


Lotando o HD e deixando a fonte em branco

É exatamente a mesma coisa que estamos fazendo com o nosso cérebro. Com a quantidade cada vez maior de funcionalidades no celular, nós estamos cada vez menos usando o nosso cérebro. Estamos pegando Momentos que, ao invés de guardarmos na memória, colocamos na Galeria, por exemplo. O celular virou o nosso HD Externo. Não só pra fotos, como números de celular, conta. Inclusive, essa função de guardar senha já me colocou em maus bocados.


De verdade agora. Gostaria que você fizesse um exercício:

Lembre-se da sua última viagem, a foto que você mais gostou. Você seria capaz de descrever como estava o dia? Como estava o céu? Se tinha alguma flor no caminho? Você parou e olhou ao redor? Você lembra como estava se sentindo? Ou só bateu uma foto e foi embora pro próximo lugar?


Veja bem, eu não estou criticando e apontando o dedo pra ninguém. Muitas viagens eu não consigo me lembrar de nada disso que eu perguntei. Aqui será sempre um espaço de questionamentos e reflexões, nunca de julgamentos.


Eu gostaria mesmo de saber a resposta de vocês. Se puderem, enviem pra deagoraemdiante@outlook.com, por gentileza.


E esse é um dos problemas. E agora eu gostaria de chamar a atenção para um outro. Relacionado, mas não é o mesmo.


Presentes, porém ausentes

Um outro motivo pela redução das nossas lembranças, é que infelizmente não nos fazemos mais presentes por completo nos momentos. Somente de maneira física.


Quando saímos para jantar e o garçom retira o cardápio, prontamente já estamos no celular checando as redes sociais, e-mail, site de notícias.

Ficamos lendo e comentando a notícia até que o prato chegue. Quando chega, comemos, conversamos e ao fim, pagamos a conta e vamos embora.

Pro seu cérebro, este jantar no restaurante que você reservou com 7 dias de antecedência, foi a mesma coisa que jantar em casa. Porque ele não viu nada diferente. Ele viu comida, notícia e conversa.


Entenda uma coisa que eu aprendi lendo nesse tempo: Nós estamos onde nossa atenção está. E nossa atenção está no que vemos/pensamos. Isso é um fato! Se você está num safari e está no Twitter do Hugo Gloss pra saber sobre o bafafá da realeza, vai ser como se você nunca tivesse ido ao safari.


"Ah, mas eu sei fazer 2 coisas ao mesmo tempo." Mentira! A pessoa que diz isso está prestando atenção em uma e ouvindo passivamente a outra.


Você já tentou ler uma coisa e pensar em outra? É impossível! E é por essa impossibilidade que se não estivermos 100% no momento, nós continuaremos perdendo lembranças importantes de nossa vida.


Recuperando a memória

Leia três vezes essa frase da Giuliana Mazzoni. Ela mostra o poder que a nossa atenção tem no registro dos momentos na nossa memória.

“Prestar atenção é fundamental para codificar informações na memória." - Giuliana Mazzoni, professora de psicologia da Universidade de Hull.

Em nenhum momento eu acho que o celular seja o vilão. Acho que ele é uma ferramenta incrível e nos ajuda muito. Mas nós temos que criar a consciência de que haverá momentos em que ele precisará ser colocado de lado para não nos prejudicar.


E eu sempre falo no Podcast e no YouTube, assimilem o que estou falando e executem. Eu sei que você provavelmente já sabia disso. Mas o problema do mundo hoje é que todo mundo sabe tudo, mas ninguém bota nada em prática.


De agora em diante, quando você for jantar, sair com alguém, viajar.. deixe um pouco o celular de lado. Você pode tirar suas fotos, mas sinta o momento, observe os detalhes. Olhe ao redor, crie consciência de como você está se sentindo. É só observando e estando consciente do Momento, que iremos guardá-lo na memória.

24 visualizações
Assine nossa newsletter para receber nossos conteúdos em primeira mão!

© 2020 by @marcelodieguez.